VACINAQUANDO INDICARESQUEMAS E RECOMENDAÇÕES
Influenza (gripe)RotinaDose única anual.
Pneumocócicas
(VPC13) e (VPP23)
RotinaIniciar com uma dose da VPC13 seguida de uma dose de VPP23 seis a 12 meses depois, e uma segunda dose de VPP23 cinco anos depois da primeira.
Febre amarelaPara residentes
em áreas de vacinação,
após avaliação
de risco/ benefício.
• Uma dose para residentes ou viajantes para áreas de vacinação (de acordo com classificação do Ministério da Saúde / MS). Se persistir o risco, fazer uma segunda dose dez anos após a primeira. Pode ser recomendada também para atender a exigências sanitárias de
determinadas viagens internacionais.
• Em ambos os casos, vacinar pelo menos dez dias antes da viagem.
Herpes zósterRotinaUma dose.
Meningocócica
conjugada ACWY
Surtos e viagens para
áreas de risco.
Uma dose. A indicação da vacina, assim como a necessidade de reforços, dependerão da situação epidemiológica.
Tríplice bacteriana acelular do tipo adulto (difteria, tétano e coqueluche) – dTpa ou dTpa-VIP

Dupla adulto (difteria
e tétano) – dT
RotinaAtualizar dTpa independente de intervalo prévio com dT ou TT.
• Com esquema de vacinação básico completo: reforço com dTpa a cada dez anos.
• Com esquema de vacinação básico incompleto: uma dose de dTpa a qualquer momento e completar a vacinação básica com uma ou duas doses de dT (dupla bacteriana do tipo adulto) de forma a totalizar três doses de vacina contendo o componente tetânico.
• Não vacinados e/ou histórico vacinal desconhecido: uma dose de dTpa e 2 doses de dT no esquema 0 - 2 - 4 a 8 meses.
Hepatite A e BHepatite A: após avaliação sorológica ou em situações de exposição ou surtos.Duas doses, no esquema 0 - 6 meses.
Hepatite B: rotina.Três doses, no esquema 0 - 1 - 6 meses.
Hepatite A e B: quando recomendadas as duas vacinas.Três doses, no esquema 0 - 1 - 6 meses.
Tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola)Situações de risco aumentado.É considerado protegido o idoso que tenha recebido duas doses da vacina tríplice viral acima de 1 ano de idade, e com intervalo mínimo de um mês entre elas, ou que tenha seguramente desenvolvido as doenças.